top of page

arthurlefort

 

Aos vinte e cinco, descobri o mundo. 2024 e ainda me espanto. Talvez tenha começado em 1988, ou na casa 10 da rua Belchior Moreira.

Quase fui cirurgião. Já fui, no entanto, cristão, concluí um seminário em 2008. Hoje licenciado em filosofia e artes visuais. Especializado em educação inclusiva, arte-educação e processo criativo e gestão da indústria cinematográfica. Formações livres em direção cinematográfica, roteiro e poéticas do contemporâneo. Autodidata em artes cênicas. Pesquiso a filosofia da arte, estética e o comportamento, como a arte nos atravessa. 

 

Educador há 16 anos. No Senac desde 2016. Consultor em produções artísticos. Diretor de palco e vocalista (2006-2018), membro da Sociedade dos Artistas de Teresópolis-RJ (2016-2018), conselheiro e parecerista no Conselho Municipal de Políticas Públicas Culturais de Teresópolis-RJ (2020-2021). 

De tanto, quatro palavras: voz, corpo, imagem. E café.

O que faz sentido? Ao que parece, uma pessoa normal, e em sua oclusão e anatomia craniofacial perfeitas, tem oito dentes em cada quadrante, se considerado os terceiros molares, totalizando 32 dentes. Segundo Wheeler (1974), citado por Gray e O’Rahilly (p. 712, 1988), “as principais funções dos dentes são (1) ‘cortar e reduzir os alinhamentos durante a mastigação’, e (2) ajudar ‘a própria sustentação dos arcos dentais cooperando para o desenvolvimento e proteção dos tecidos que os mantêm’”.

bottom of page